08 fevereiro 2009

"Rótulos são para geléias"


Algumas verdades são duras de se aceitar, e, mesmo consciente delas, demora-se um pouco para permitir que elas façam parte da gente, sejam digeridas, interiorizadas. Para a maioria das pessoas nunca é!


Recentes leituras e experiências me fizeram rever muito de meus conceitos e valores sobre mim mesma e tudo a minha volta, e, chegar a algumas conclusões sobre o sentido da vida (que, passei a crer, é não ter sentido mesmo).
Não quero ser hipócrita, ainda não internalizei muito destas coisas, mas eis algumas das, simples mas indigestas, afirmações de que falo:

Você não vai mudar o mundo! Você não é mais importante ou especial que o resto das pessoas. Você é mais um!
Você pode fazer o que você quiser! Pode ir atrás de seus sonhos, realizar seus desejos. Ninguém define sua vida, seus valores... a não ser que você permita!
Você tem o direito de ser respeitado e pode brigar por isso!
VOCÊ É LIVRE!

Entrar em contato com nossos verdadeiros desejos impõe-nos a responsabilidade por nossos próprios atos e experiências. Mas na maioria das vezes nos vemos tentando colocar a culpa de nossos fracassos e dores em alguém ou alguma coisa fora de nós.

Sigo vendo as pessoas se consolarem ou estimularem umas às outras com alguns adjetivos contraditórios: "você é insubstituível", "você é especial" ... Como se fosse mesmo trazer algum benefício.

Para mim, nos sentirmos insubstituíveis só nos faz tentar nos manter no mesmo padrão. Nos implica numa obrigatoriedade, num dever, numa imagem fixa de si mesmo, num sintoma.

O que eu preciso é me livrar dos rótulos "positivos" assim como me livrei dos negativos.

Depois de um tempo adquirimos maturidade para questionar se o que foi aprendido durante a vida é realmente a nossa opção. É chegada a hora das grandes escolhas... e talvez seja preciso fazer algumas mudanças.

Toda mudança é complicada e sofrida, mas mudar permite refazer sua história à sua maneira.
Já dizia Lacan "na recusa nasce o sujeito".

E ao final você saberá que viveu uma vida de verdade.
Por Sophia Compeagá




"Cuidado com os seus pensamentos, eles se transformam em palavras.
Cuidado com suas palavras, elas se transformam em ações.
Cuidado com suas ações, elas se transformam em hábitos.
Cuidado com seus hábitos, eles moldam seu caráter.
Cuidado com o seu caráter, ele controla seu destino"

2 comentários:

Dani Cabrera disse...

"Para mim, nos sentirmos insubstituíveis só nos faz tentar nos manter no mesmo padrão. Nos implica numa obrigatoriedade, num dever, numa imagem fixa de si mesmo, num sintoma.

O que eu preciso é me livrar dos rótulos "positivos" assim como me livrei dos negativos. "


Completamente de acordo, Sophia!
Adorei.

Beijos!

Márcio Beckman disse...

Sophiaaaaa, tudo bom? Estou aqui de volta ao mundo dos blogs, fazendo uma reforma geral no meu que estava abandonado às traças. Gostei do texto, me lembra de uma poesia minha que eu escrevi sobre rótulos, realmente esses prejulgamentos são inevitáeis pq fazem parte da natureza humana, mas quando possível devemos tentar sempre transcendê-los. Abraços!